Papa sobre o batismo: "É uma data mantida no coração"
  • Vigiai e Orai

Papa Francisco sobre o batismo: "É uma data mantida no coração para celebrá-la todos os anos"

Atualizado: 14 de Jan de 2019

Neste domingo (13), dia da festa do Batismo do Senhor, em que marca o término do Ano Litúrgico do Natal, o Papa Francisco, durante o Angelus, na Praça São Pedro fez uma pergunta: "Quem entre vocês sabe a data do seu batismo?". E o batismo foi o tema principal da exortação do Santo Padre.

Papa Francisco no Angelus deste domingo (Foto: Vaticannews)

Confira as palavras do Papa Francisco neste domingo:

Queridos irmãos e irmãs, bom dia!


Hoje, no final da época litúrgica do Natal, celebramos a festa do Batismo do Senhor. A liturgia nos chama a conhecer Jesus mais plenamente, dos quais recentemente celebramos o nascimento; e por esta razão o Evangelho (cf. Lc 3, 15-16.21-22) ilustra dois elementos importantes: a relação de Jesus com o povo e a relação de Jesus com o Pai.


Na história do batismo, concedida por João Batista a Jesus nas águas do Jordão, vemos primeiro o papel do povo. Jesus está no meio do povo. Não é apenas um pano de fundo da cena, mas é um componente essencial do evento. Antes de mergulhar na água, Jesus "mergulha" na multidão , junta-se a ela e assume plenamente a condição humana, compartilhando tudo, exceto o pecado. Na sua divina santidade, cheia de graça e misericórdia, o Filho de Deus se fez carne para tomar sobre si e tirar o pecado do mundo: levar nossas misérias, nossa condição humana. Portanto, até hoje é uma epifania porque vai ser batizado por João, no meio do povo penitente do seu povo, Jesus manifesta a lógica e o sentido da sua missão.


Ao unir-se às pessoas que pedem a João o batismo da conversão, Jesus também compartilha o profundo desejo de renovação interior. E o Espírito Santo que desce sobre Ele "em forma corporal, como uma pomba" (v.22) é o sinal de que com Jesus começa um novo mundo, uma "nova criação" que inclui todos aqueles que recebem a Cristo em sua vida. Também a cada um de nós, que renascemos com Cristo no Batismo, são dirigidas as palavras do Pai: "Tu és o meu Filho amado, em ti expressei o meu prazer" (v. 22). Este amor do Pai, que recebemos a todos nós no dia do nosso batismo, é uma chama acesa em nossos corações e exige que sejamos nutridos pela oração e pela caridade.


O segundo elemento enfatizado pelo evangelista Lucas é que após a imersão no povo e nas águas do Jordão, Jesus "mergulha" em oração, isto é, em comunhão com o Pai . O batismo é o começo da vida pública de Jesus, da sua missão no mundo como enviado do Pai para manifestar a sua bondade e o seu amor pelos homens. Esta missão é realizada em constante e perfeita união com o Pai e o Espírito Santo. Até mesmo a missão da Igreja e de cada um de nós, para sermos fiéis e frutíferos, é chamada a enxertar-se na de Jesus: é uma questão de regenerar continuamente a evangelização e o apostolado na oração, para fazer um claro testemunho cristão. Não de acordo com projetos humanos, mas de acordo com o plano e estilo de Deus.


Queridos irmãos e irmãs, a festa do Batismo do Senhor é uma boa oportunidade para renovar com gratidão e convicção as promessas do nosso Batismo, comprometendo-nos a viver diariamente em harmonia com ele. Também é muito importante, como eu já disse várias vezes, conhecer a data do nosso batismo. Eu poderia perguntar:


"Quem entre vocês sabe a data do seu batismo?" Não todos, com certeza. Se algum de vocês não a conhecer, voltando para casa, pergunte a seus pais, avós, tios, padrinhos, amigos da família ... Pergunte: "Em que data eu fui batizada?" E então não se esqueça: é uma data mantida no coração para celebrá-la todos os anos.

Jesus, que nos salvou não por nossos méritos, mas por realizar a imensa bondade do Pai, nos torna todos misericordiosos. Que a Virgem Maria, Mãe da Misericórdia, seja nosso guia e nosso modelo.


Batismo de 27 crianças na Celebração Eucarística presidida pelo Papa Francisco:

A Celebração da Festa do Batismo, realizada na Capela Sistina, na manhã deste domingo, 27 crianças que estavam acompanhadas pelos pais, padrinhos e madrinhas foram batizadas pelo Papa. em uma breve homilia, o Santo Padre lembrou do papel dos pais na transmissão da fé.

Papa Francisco batiza 27 crianças (Foto: Vatican.va)

No início da cerimônia, a pergunta foi feita: "O que você pede para seus filhos?" E todos vocês disseram: "Fé". Você pede à Igreja por fé para seus filhos e hoje eles receberão o Espírito Santo e o dom da fé, cada um em seu próprio coração, em sua própria alma. Mas essa fé deve então se desenvolver, deve crescer. Sim, alguém pode me dizer: "Sim, sim, eles devem estudá-lo ...". Sim, quando vão ao catecismo, estudam bem a fé, aprendem a catequese. Mas antes de ser estudado, a fé deve ser transmitida , e este é um trabalho que depende de você. É uma tarefa que você recebe hoje: transmitir a fé , a transmissão da fé. E isso é feito em casa. Porque a fé deve sempre ser transmitida "em dialeto": o dialeto da família, o dialeto da casa, na atmosfera da casa.


Esta é a sua tarefa: transmitir a fé pelo exemplo, pelas palavras, ensinando a fazer o sinal da cruz . Isso é importante. Veja, há crianças que não podem fazer o sinal da cruz. "Faça o sinal da cruz": e faça algo assim, que você não entende o que é. Primeiro de tudo, ensine isso a eles.


Não briguem na frente das crianças, pede Papa Francisco:

Mas o importante é transmitir a fé com a sua vida de fé: eles vêem o amor dos cônjuges, que vêem a paz da casa, que vêem que Jesus está lá. E eu gostaria de um conselho - desculpe, mas eu recomendo isso -: nunca briguem na frente das crianças, nunca. É normal que os cônjuges briguem, é normal. O oposto seria estranho. Faça isto, mas que eles não ouvem, que eles não vêem. Você não conhece a angústia que uma criança recebe quando vê seus pais brigando. Isto, ouso, é um conselho que o ajudará a transmitir a fé. É ruim discutir? Nem sempre, mas é normal, é normal. Mas que as crianças não vêem, não sentem, por angústia.


E agora vamos continuar a cerimônia do batismo, mas tenha isso em mente: sua tarefa é transmitir sua fé. Passe em casa porque a fé é aprendida lá; então estuda-se em catequese, mas em casa [recebe-se] fé.


E antes de continuar eu gostaria de lhe dizer mais uma coisa: você sabe que as crianças se sentem hoje num ambiente que é estranho: um pouco quente demais, elas estão cobertas ... E sentem o ar abafado ... Então choram porque estão com fome, estão com fome. E uma terceira razão para chorar é "grito preventivo". Uma coisa estranha: eles não sabem o que vai acontecer, e pensam: "Eu choro primeiro, depois vamos ver ...". É uma defesa. Eu lhes digo: eles estão confortáveis. Tenha cuidado para não cobri-los demais. E se eles choram por fome, amamentem. Às mães, eu digo: Amamenta as crianças, acalma, o Senhor quer isso. Por que, onde está o perigo?, que eles também têm uma vocação polifônica: um começa a chorar um e o outro faz o contraponto, e depois o outro, e no final é um coro de lágrimas!


E assim avançamos nesta cerimônia, em paz, com a consciência de que é a sua vez de transmitir a fé.


#papafrancisco #homiliadiaria #vaticano #homiliadopapa #homiliadominical #homiliahoje

vigiaieorai.com © 2017 - 2019

Todos os direitos reservados.